Gerenciando estoque com FEFO e FIFO

metodos-fefo-fifo-logistica-estoque-armazem

Muito utilizado em Logística e Supply Chain, os métodos de gerenciamento de estoques FEFO (First Expire, First Out) e FIFO (First In, First Out), fazem parte daqueles conhecimentos necessários para todo profissional da área. Seja você um líder, operador, gerente ou diretor, é importante entendê-los.

Os dois conceitos também estão inteiramente ligados a contabilidade da empresa, pois estamos falando de estoques, portanto notas fiscais que entram e saem.

A área contábil de uma empresa utiliza o método FEFO e FIFO para estipular o valor do estoque – que é um ativo circulante – num determinado período. Sendo assim, as escolhas contábeis interferem no valor dos impostos a serem recolhidos.

Mas, voltamos à logística:

Conceito de Lotes no gerenciamento do estoque

O conceito principal por trás dos métodos FEFO e FIFO é o lote. Talvez, este seja o termo logístico mais popular entre os consumidores finais, devido a relação com os alimentos e saúde.

Existem muitos tipos de lotes: remessas, séries, edições, etc.. porém, nem todos eles exigem o mesmo tipo de gerenciamento.

Por exemplo, existem casos em que clientes necessitam de um lote específico. Pode parecer sutil, mas há uma grande diferença entre ter que registrar o lote sequencial e outro lote pré-selecionado, seja pelo comprador ou pelo distribuidor.

Vamos aos métodos:

Método FEFO (First Expire, First Out) ou PVPS (Primeiro Vence, Primeiro Sai)

Este método está relacionado diretamente com a validade do produto. No setor alimentício, por exemplo, ele é fundamental, pois para os consumidores finais a qualidade está ligada a produtos “mais frescos”, “mais novos”, “recém-fabricados”.

Portanto, excluindo alguma estratégia muito peculiar, este método será o mais utilizado no setor de alimentos. Notamos que o “Expire” da sigla FEFO é uma informação de extrema importância e que define todo o gerenciamento do estoque.

Para aqueles produtos, nos quais a validade tem menos importância, a ideia de “recém-fabricado” pode ganhar relevância de marketing, como no caso de lançamentos de produtos. Mas, nesses casos não há o conceito de validade vencida do produto antigo, ou seja, não se trata do método FEFO.

Método FIFO (First In, First Out) ou PEPS (Primeiro Entra, Primeiro Sai)

Enquanto o método FEFO se refere a validade do produto, o FIFO prioriza aquele que primeiro deu a entrada no estoque. Perceba que lote de entrada é uma coisa e validade do produto é outra. Geralmente, após atender as necessidades de validade (FEFO), utiliza-se o FIFO para gerenciamento do armazém.

No entanto, não há regras preestabelecidas, e dependendo da estratégia logística, pode-se desenhar um fluxo diferenciado.

O método FIFO se torna a segunda regra mais comum, devido ao efeito chamado paradoxo do consumidor: mesmo entre produtos com validades iguais, ele tende a escolher aquele fabricado mais recentemente.

Custo do mau gerenciamento

Os métodos FEFO e FIFO abrangem vários pilares da gestão de uma empresa, daí sua extrema importância:

• Pode ser um requisito exigido pelo mercado.

• Pode ser uma constatação de qualidade.

• Em algumas indústrias é legalmente regulamentado.
O custo dos erros na execução do FEFO e FIFO pode refletir de diversas maneiras:
• Custo de estoque que expira na prateleira.

• Custo da obsolescência prematura.

• Custo de um produto com sinais visíveis de deterioração.

• Custo dos itens retornados pelos clientes.

• Custo do tempo perdido na procura de um produto no armazém.

• Custo de oportunidade da demanda insatisfeita.

• Custo de dano à imagem da marca, potencialmente até mesmo levando a reivindicações legais quando as propriedades do produto são alteradas, afetando assim o consumidor.

Conclusão: implantação FEFO e FIFO

Talvez em muitas empresas, simplesmente uma listagem dos recursos necessários para implantação do FEFO e FIFO, sejam suficientes. Porém, é preciso analisar o custo desse projeto e o quanto afetará positivamente a organização. Somente após uma avaliação minuciosa das operações, pelo gerente ou diretor logístico, pode-se definir por um projeto mais complexo.

Projeto que deverá observar as seguintes frentes:

  1. IDENTIFICAÇÃO: uso de etiquetas FIFO/FEFO para produtos, paletes e espaços.
  2. SISTEMA DE INFORMAÇÃO: ERP / WMS para que as informações de lotes possam ser cruzadas com as de validade.
  3. NOVOS RECURSOS: redesenho do armazém, transporte e treinamento de equipe.
  4. ORGANIZAÇÃO: redigir novos procedimentos, sincronização de tarefas e estações de trabalho.

Para finalizar, vale lembrar que existe outro método menos comum, chamado LIFO (Last In, First Out). Como assim? Último que entra, primeiro que sai? É isso mesmo, o LIFO está ligado a uma estratégia comercial e falaremos dele em outro post.

CCA Team

Frete Aéreo e Urgentes

 

Share on LinkedInShare on FacebookShare on Google+Email this to someone