Correios em greve e os riscos na entrega de encomendas

Todos sabem que os Correiros, sendo uma empresa pública, recebe forte interferência política em sua administração. Em empresas assim, a implantação de sistemas de melhorias contínuas fica muito mais difícil de ser concretizada. Ao longo dos anos a dinâmica logística mudou drasticamente. A tecnologia da informação é parte essencial nos processos, exigindo uma remodelação nas operações. Manter e disseminar uma cultura de excelência aliada a investimentos crescentes não é tarefa das mais simples. Mas o que fazer?

Greve nos Correios e seu plano B

O trabalho dos Correios certamente vai continuar e por isso mesmo não cabe a nós fazermos julgamentos em relação ao futuro dessa centenária empresa brasileira. Mas, é importante salientar que sua empresa não pode correr o risco de não ter um plano B. As greves são constantes e não há previsão de grandes mudanças neste sentido, haja vista que é um direito dos trabalhadores. São problemas que devem ser enfrentados internamente através de correções e motivações da equipe.

Cabe ao gestor logístico ou o profissional de compras entender que os riscos podem ser altos se levar em consideração a satisfação do cliente.

Risco logístico se mede

Uma operação logística deve ser tratada em adequação a cada situação ou tipo de cliente. Por isso, uma solução padrão para todos os casos pode muitas vezes, trazer prejuízos. Um exemplo é o caso daquele seu cliente que mantém uma eficiente programação e uma margem de tempo de entrega tranquila, porém num belo dia, ocorre um imprevisto e surge uma situação de emergência. Sua empresa não pode solucionar logisticamente essa situação tendo em mente o histórico, pois se trata de uma exceção. Assim como as greves.

É importante ficar atendo às variações da demanda e estabelecer uma maneira de medir os riscos envolvidos. É uma questão de custo-benefício. Será que os riscos de não entregar no prazo vale a pena? O quanto vai interferir na relação de minha empresa com este cliente?

Certamente, situações que necessitem de uma logística urgente ou superexpressa são reais. Convivemos com elas todo dia aqui na CCA Express. Então é hora de ter um plano B.

Abrangência Logística

Nem sempre será necessário, mas a abrangência geográfica para entregas é um bom começo ao escolher um prestador de serviço logístico. Operadores logísticos – ou transportadores – operam através de uma malha de parceiros que movimentam as cargas pelo país. E aqui, vale uma ressalva: possuir uma grande malha de agentes de entrega não necessariamente traz eficiência. Portanto mais do que atender é preciso medir constantemente as operações e fazer os ajustes necessários. Mas como medimos?

Índices de eficiência logística

Nós da CCA Express, fazemos com muita paixão este trabalho há 20 anos e podemos dizer que aprendemos muita coisa. Uma delas é a medição do índice de desempenho para cada local que atendemos, o que significa dizer, grande parte do Brasil. Manter uma performance de 98% de entregas no tempo previsto é um desafio diário. Para isso precisamos de tecnologia e equipe treinada.

Não há greves porque o feedback entre gerentes e o time é contante. Melhorias nos processos e na informação são discutidas sempre que necessário para continuarmos sendo uma empresa referência em fretes urgentes.

Esperamos que os Correiros evolua com o setor logístico e continue sendo uma opção para muitas empresas. Porém, repetimos: tenha um plano B!

Nossos serviços logísticos:

  • Suporte de especialistas em fretes urgentes 24 h
  • Operações logísticas ágeis para atender o fluxo de materiais de produção de Norte a Sul.
  • Transporte de matéria-prima, peças e diversos componentes produtivos
  • Rastreamento de cargas de maneira rápida
  • Controle nos processos de ponta a ponta
  • Ágil confirmação de entrega
  • Sigilo e segurança

Veja mais aqui.

CCA Team

Frete Aéreo e Urgentes

dicionário de logística

Share on LinkedInShare on FacebookShare on Google+Email this to someone